domingo, 11 de março de 2018

Novo edital prevê obras de segurança viária em São Miguel Paulista Proposta inédita vai melhorar o espaço para pedestres na região que hoje concentra um dos maiores índices de atropelamentos em São Paulo

O centro de São Miguel Paulista, na Zona Leste, irá ganhar nova configuração viária dentro do Programa Trânsito Seguro da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes. Nesta quarta-feira (7), foi publicado no Diário Oficial da Cidade o edital para a contratação do desenvolvimento do projeto executivo e da execução das obras, nesta que é uma das regiões com maior índice de atropelamentos na cidade. O objetivo das obras será priorizar o espaço para pedestres e o transporte público. O texto publicado prevê a entrega das propostas até o dia 09 de abril. Ao todo, serão implementadas 18 intervenções específicas dentro da Área Calma de São Miguel, cujo perímetro engloba a estação da CPTM, o calçadão de comércio na Rua Serra Dourada, o Mercado Municipal e a Capela de São Miguel Arcanjo, localizada na Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, chamada Praça do Forró. As medidas de moderação de tráfego incluem travessias e interseções elevadas, extensões do passeio, ilhas de refúgio e rebaixamento de guias. Além disso, o projeto tem como escopo melhorias na acessibilidade, pavimentação, drenagem, iluminação, sinalização e paisagismo. “A proposta que vamos implementar em São Miguel é inédita na América Latina. Vamos mudar a cara do centro comercial da região e torná-lo mais seguro e acessível para todos, priorizando vidas. Um projeto com essa proporção, localizado a 24 km do centro da cidade, nunca foi feito antes”, afirma o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda. Na Avenida Marechal Tito, importante eixo comercial por onde passam 40 linhas de ônibus (com frequência de 354 ônibus/hora pico, em ambos os sentidos), a proposta consiste em modificar a operação do sistema viário em seu trecho mais estreito, tornando-o exclusivo para ônibus por três quadras e proibindo a passagem de automóveis individuais. Estes, por sua vez, serão direcionados para rotas alternativas nas ruas do entorno. “A princípio vamos fazer uma intervenção temporária para aprimorar a proposta. A mudança vai melhorar a qualidade de vida das pessoas na região. A Marechal Tito tem calçadas muito estreitas, e os pedestres competem por um espaço na rua com ônibus, motos e veículos particulares. Daí, o alto índice de atropelamentos”, completa Avelleda. O projeto será uma continuação do processo de requalificação da Área Calma (com velocidade reduzida) já implementada na região pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A ação em São Miguel Paulista também conta com uma avaliação de impacto na região. Todo o planejamento, implementação e execução estão sendo avaliados e monitorados em detalhes por pesquisadores das instituições parceiras. Com isso, será possível medir como era a região antes e depois das mudanças, tornando o projeto passível de ser replicado em outros bairros de São Paulo que possuem condições de trânsito parecidas. O projeto conta com diversos parceiros, dentre os quais a Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito, o WRI, a NACTO-GDCI, o iRap, o ITDP/Citi Foundation e o Cepesp/FGV. Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito Sobre a Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito, anualmente, 1,3 milhão de pessoas morre em acidentes de trânsito no mundo. A menos que ações imediatas sejam tomadas, esse número pode chegar a 1,9 milhão em 2020. Por isso, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu a “Década de Ação para Segurança no Trânsito” (2011-2020), visando reduzir pela metade o número de vítimas do trânsito até o fim do período. A Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito apoia a Prefeitura de São Paulo na implementação de intervenções de segurança viária baseadas em evidência e com o objetivo de reduzir lesões e mortes no trânsito. O programa dá suporte às cidades parceiras no desenvolvimento e implementação de: comunicação e campanhas de massa de mudança de comportamento para promover um trânsito mais seguro e em conformidade com as regulamentações vigentes; melhorar a fiscalização; promover o desenho urbano para tornar as ruas mais seguras; melhorar a coleta de dados e o monitoramento dos usuários; e aumentar a sinergia entre todos os atores envolvidos. Além da capital paulista, o projeto atua em outras nove cidades ao redor do mundo: Fortaleza (CE), Bogotá (Colômbia), Acra (Gana); Adis Abeba (Etiópia), Bandung (Indonésia), Bangkok (Tailândia), Ho Chi Minh (Vietnã), Mumbai (Índia) e Xangai (China). FONTE /CRÉDITO : Secretaria Especial de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário