quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Preços pagos aos produtores em 2016 serão 21% maiores que em 2015, estima Secretaria de Agricultura

A estimativa preliminar do Valor da Produção Agropecuária (VPA) para 2016, cálculo que considera os preços médios mensais recebidos pelos produtores de 53 produtos da agropecuária paulista, é de R$ 76,5 bilhões, conforme apontam estudos preliminares da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA). O montante é 21,02% superior ao de 2015, quando o VPA paulista foi de R$ 63,2 bilhões. O aumento se deve principalmente à elevação de preços em todos os grupos de produtos analisados (17,13%). Destaca-se o valor arrecadado com grãos e fibras, que foi de R$ 8,7 bilhões neste ano, 57,15% maior do que os R$ 5,5 bilhões de 2015. Em seguida, estão as olerícolas, com um total de R$ 4,9 bilhões em 2016, 33,85% superior ao ano passado, quando o resultado foi de R$ 3,6 bilhões. Também houve aumento nos preços dos produtos para a indústria (16,39%), frutas frescas (12,59%), produtos florestais (10,26%) e produtos animais (9,71%). O crescimento da produção também influenciou o resultado do VPA de 2016, mas de forma mais modesta (3,33%). A exceção ficou por conta do grupo de produtos animais, que praticamente manteve o mesmo nível produtivo, quando todos os outros apresentaram leve crescimento. Neste ano, informam os pesquisadores da Secretaria que atuam no IEA, o grupo de produtos animais deverá chegar a R$ 18,9 bilhões, um crescimento de 9,64% em relação a 2015, devido ao incremento do VPA de leite (34,07%) e de ovos (33,40%), que registraram um aumento nos preços médios recebidos pelos produtores. O Estudo também detectou um aumento de 20% no VPA de produtos para a indústria, que chegou a R$ 34,5 bilhões, sendo responsável por 45% do faturamento do setor agropecuário. Do conjunto de 53 atividades agrícolas, incluindo as florestais, a estimativa preliminar do Valor da Produção Agropecuária Paulista de 2016 apresenta 41 delas com ganhos de faturamento, quando comparada a 2015. “Em geral, os ganhos foram provocados pelo aumento dos preços médios recebidos pelos produtores, em vista das adversidades climáticas que reduziram a oferta dos produtos, com exceção do café beneficiado e das frutas: uva de mesa e morango”, afirmam os pesquisadores. O estudo completo está disponível neste link. De acordo com o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, o resultado positivo estimado para o VPA de 2016 sinaliza o bom momento da agricultura paulista. “Por acompanhar os preços médios mensais pagos ao produtor paulista, o estudo do IEA é referência para a elaboração de estratégias de mercado e políticas públicas. Orientados pelo governador Geraldo Alckmin, estamos colocando as informações e análises geradas pela pesquisa a serviço do setor produtivo”, afirmou. Por: Paloma Minke

Nenhum comentário:

Postar um comentário