sexta-feira, 19 de agosto de 2016

RADIALISTA FAZ HOMENAGEM AOS 35 ANOS DE FUNDAÇÃO DO SBT E AO SÍLVIO SANTOS

RADIALISTA EDSON XAVIER ''LIGEIRINHO DO RÁDIO '' DA RÁDIO INTEGRAÇÃO FM 87,5 www.rcintegracaofm.com
O Sistema Brasileiro de Televisão (conhecido pela sigla SBT) é uma rede de televisão aberta brasileira fundada em 19 de agosto de 1981 pelo consagrado empresário e apresentador de televisão Silvio Santos, fazendo parte do Grupo Silvio Santos. A fundação do SBT também é um momento histórico para a televisão no Brasil e mundial, uma vez que foi a primeira emissora do mundo a transmitir sua inauguração ao vivo. Antes de adquirir as concessões das quatro emissoras que formariam o SBT, o Grupo Silvio Santos já tinha desde 1976 a concessão do Canal 11 do Rio de Janeiro, conhecido como TV Studios (TVS), o que foi um passo fundamental para dar vida ao SBT, que entrou no ar para São Paulo e também para todo o Brasil em 19 de agosto de 1981 como TVS Canal 4 de São Paulo, e aos poucos ficando popularizada como SBT. Possui 114 emissoras, sendo oito emissoras próprias. São elas: SBT SP, SBT RJ, SBT DF, SBT Central, SBT RP, SBT Interior Araçatuba, SBT Pará, SBT RS e SBT Interior RJ, além de 107 emissoras afiliadas espalhadas por todo o território nacional. A emissora possui o segundo maior complexo televisivo da América Latina, e o quarto maior do mundo. O CDT da Anhanguera, no Brasil perde apenas para os Estúdios Globo. O complexo está localizado no quilômetro 18 da Rodovia Anhanguera, em Osasco (SP), ocupando uma área de 285 mil metros quadrados. O SBT voltou a ocupar a posição de vice-líder em audiência em todo o país desde maio de 2014, passando a então vice-líder Rede Record, posição na qual a rede ocupava no ranking de audiência desde 2008. Na década de 1970, foi aberta a concorrência dos canais 9 de São Paulo e do Rio, respectivamente da Rede Excelsior e TV Continental. Silvio Santos se interessou, mas não conseguiu nenhuma. Na mesma época, 50% das ações da TV Record foram colocadas à venda e Silvio Santos as comprou.[ Ainda em busca de uma concessão própria, Silvio Santos foi capa e reportagem da Veja de maio de 1975, a revista destacou que "nas colunas especializadas em TV de alguns jornais avolumam-se os apelos de artistas e jornalistas para que a nova emissora seja entregue a Sílvio Santos. Ele teria, sobre a grande maioria dos empresários do ramo, uma vantagem que os artistas consideram fundamental: a de pagar em dia e corretamente seus funcionários".Silvio Santos se mostrava otimista em relação a concessão: "A minha televisão será diferente de todas as que existem. Não dependerá de Ibope". Em outubro de 1975, Silvio Santos venceu a concorrência para o Canal 11, do Rio de Janeiro, aberta pelo presidente Ernesto Geisel e em 22 de dezembro de 1975, o então Ministro das Comunicações, Euclides Quandt de Oliveira, concedeu o Canal 11 do Rio de Janeiro para Silvio Santos. Segundo Silvio, na época em que alugava horários em rádios e TVs, conseguiu crescer e que isso "chamou a atenção do público e do governo", até ganhar sua primeira concessão de TV, em 1976, no Rio de Janeiro. Apesar de artistas e jornalistas terem declarado apoio a concessão da TVS para Silvio Santos, não foi todo mundo que achou correta a decisão da concessão dada pelo governo à Silvio Santos. Em entrevista à mesma revista Veja de 11 de agosto de 1976 (página 4), José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, então superintendente da Rede Globo, afirmou: "Em vez de estimular a programação alternativa das minorias, concedeu-se um canal ao empresário Sílvio Santos, homem que por interesses comerciais que nada têm a ver com televisão corteja ostensivamente as camadas mais populares. Pela luta de Sílvio Santos, fica-se até feliz, mas pela grande luta da televisão brasileira é decepcionante, pois não estamos precisando de mais emissoras dirigidas à massa. (...) Nem o Silvio Santos acreditou no seu canal - assinou contrato com a Tupi. Quem vai acreditar?". A declaração de Boni, "nem o Silvio Santos acreditou no seu canal...", teve uma explicação: quando saiu da Globo, Silvio Santos assinou com a TV Tupi para exibir seu programa dominical em rede nacional. Provavelmente, segundo Boni, o correto seria Silvio transmitir o programa apenas pela TVS. Em 14 de maio de 1976, às 21 horas, com programação contínua das 6 da tarde até a meia-noite, entrou no ar o canal Studio Silvio Santos Cinema e Televisão Ltda., ou simplesmente, TVS. O animador investiu 60 milhões de cruzeiros na nova emissora. A TVS do Rio de Janeiro era o embrião de uma futura rede de televisão nacional de Silvio Santos. A emissora nasceu, em grande parte, devido aos esforços de Manuel de Nóbrega, um dos grandes amigos de Silvio Santos, que, mesmo doente, usou todo o seu carisma para ajudar o apresentador. Uma das primeiras atrações da TVS era uma edição do programa de perguntas e respostas Silvio Santos Diferente. A programação tinha os programas Bacará 76 com Ronald Golias e Um Instante Maestro com Flávio Cavalcanti e o Horóscopo com Zora Yonara, além de flashs jornalísticos, seriados como Hazel, a Empregada Maluca, O Homem da Cadeira de Rodas, Os Recém-Casados e Joe Forrester, desenhos animados e exibia um mesmo filme três sessões seguidas na chamada Sessão Corrida, o que permitiria a Silvio Santos checar os horários que mais atraíam o público. Nessa mesma época, o Programa Silvio Santos entrou no ar com quatorze horas de programação semanal ao vivo. Posteriormente, a partir de 1980, a emissora exibiu atrações como um programa com Carlos Imperial, Bozo e Sessão Premiada. A assessoria de imprensa do Grupo Silvio Santos na época destacou o investimento de US$2,5 milhões da primeira compra de equipamentos e de sua chegada ao Brasil e a então utilização da torre da antiga TV Continental, comprada por Silvio Santos em um leilão da massa falida da emissora. Embora a concessão fosse no Rio de Janeiro, os estúdios da TVS ficavam em São Paulo na Vila Guilherme, com quatro mil metros quadrados, e outro, um auditório batizado de Teatro Manuel de Nóbrega, no bairro da Pompéia. Em 1978, um incêndio atingiu o estúdio na Pompéia, tendo o prejuízo sido calculado em Cr$ 25 milhões. Em 1979, através do Decreto 83.094/79, o presidente da República João Batista Figueiredo outorgou ao Grupo Sílvio Santos a concessão para a instalação e exploração comercial do Canal 3 de Televisão de Nova Friburgo, Rio de Janeiro, hoje conhecido como SBT Interior RJ. Em relação a audiência, a TVS ocupava o segundo lugar no Rio de Janeiro em 1979 e em determinados horários estava superando até a TV Globo. Em São Paulo, a TV Record, também de Silvio Santos com Paulo Machado de Carvalho estava em segundo lugar há mais de seis meses. A Record e a TVS produziam, semanalmente, 76 horas de programas brasileiros, contra 74 horas da Rede Globo e 52 horas da Rede Bandeirantes. Em 1980, numa entrevista, Silvio Santos respondeu as então criticas que o acusavam de ser o "rei dos programas enlatados" devido ao conteúdo de programas de fora do país transmitidos pela TVS, respondendo: "Dizem que eu só uso enlatados, mas ninguém ainda se deu ao trabalho de pegar a minha programação semanal e a das outras emissoras de televisão, para um confronto na ponta do lápis. E isso o Governo fez. Quando apresentei a licitação e entrei na concorrência, demonstrei ao Governo que em meu estúdio de produção, situado na Via Anhanguera (com mais de 30 mil metros quadrados de área construída), mais meu estúdio de gravação no Carandiru, mais minha equipe da Record, e mais meu estúdio do Rio, estava fazendo 76 horas de produção ao vivo, semanais, contra 72 da Globo (na época), que agora está fazendo menos, e contra 56 da Bandeirantes. Então esse negócio de dizer "que o Sílvio só faz enlatado, ou melhor, só apresenta enlatado" é porque ninguém ainda se deu ao trabalho de começar a contar". Em 14 de julho de 1980, o governo brasileiro da ditadura militar cassou, por corrupção financeira e dívidas com a previdência social, a concessão de todos os canais da Rede Tupi, pertencente aos Diários Associados. Em 18 de julho, os transmissores da TV Tupi São Paulo, foram lacrados, decretando o fim da emissora. Em 23 de julho, o governo federal anunciou a abertura da concorrência para duas novas redes de televisão que surgiram das sete concessões da Tupi e duas da Rede Excelsior, extinta em 1970. Em 9 de novembro de 1980, numa matéria paga no Jornal do Brasil, o Grupo Silvio Santos esclareceu a razão de pleitear uma das redes em licitação entre os nove que disputam uma das duas redes colocadas em licitação pelo Governo Federal, através do Ministério das Comunicações, junto com o Grupo Paulo Machado de Carvalho, com quem dividia as ações da TV Record, uma vez que os Grupos "já têm estações de TV no Rio e São Paulo". A matéria disse que o Grupo Silvio Santos na época tinha apenas uma estação no Rio de Janeiro, a TVS, Canal 11, e 50% da TV Record - Canal 7, de São Paulo, associado ao Grupo Paulo Machado de Carvalho, e que o Grupo Silvio Santos estava "construindo no KM 16 da Via Anhanguera, o maior Centro de Produções da América Latina, numa área própria de 250 mil metros quadrados, tendo reservado para um complexo de vários prédios entre estúdios, central técnica, auditório, etc. - cerca de 30 mil metros quadrados. Custo programado para o investimento em 24 meses: $ 1.00 ou $2.00 por ano".

Nenhum comentário:

Postar um comentário