domingo, 20 de julho de 2014

Um ano depois, faixas de ônibus ainda são invadidas

A invasão de veículos ainda é o problema mais comum encontrado nas faixas exclusivas de ônibus, um ano após o início da sua implantação. EQUIPE DE REPORTAGEM DO JORNAL AGORA PERCORREU 12 faixas exclusivas em todas as regiões de São Paulo na segunda e terça-feira da semana passada: nove em seu horário de funcionamento e três fora dele - nessas foram observados asfalto e sinalização. A reportagem também encontrou falhas na sinalização e trechos com buracos e remendos. As faixas exclusivas ficam do lado direito da via e podem ou não funcionar em horário integral. Apenas ônibus e táxis com passageiros podem trafegar pela pista. Atualmente, há 341,8 km de faixas exclusivas na capital. A funcionária pública Estela Rocha, 64 anos, utiliza o corredor da rua Cardeal Arcoverde uma vez por mês para pagar as contas no banco. Ela diz que o tráfego está mais rápido, mas falta fiscalização. "Só gasto trinta minutos para chegar aqui. Antes demorava uma hora. Mas a invasão dos carros é constante e atrapalha os ônibus", diz. Resposta A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informou, por meio de nota, que de janeiro a junho de 2014 foram aplicadas 383.093 multas aos veículos que invadiram as faixas exclusivas para ônibus. No mesmo período do ano passado, foram feitas 78.446 autuações. A multa para o motorista que comete a infração é de R$ 53,20 mais a perda de três pontos na carteira. A companhia informou ainda que as vias analisadas pela reportagem são fiscalizadas por marronzinhos que ficam em pontos fixos e que elas têm radares eletrônicos. A CET disse que vai vistoriar as placas na avenida Aricanduva (zona leste) e que, se necessário, deverá elaborar projetos de manutenção ou troca da sinalização em toda a via. Sobre os galhos que encobrem placa na avenida Ipiranga (centro), a empresa disse que solicitou a poda à subprefeitura da região. A Prefeitura de São Paulo informou também que parte das vias percorridas pela reportagem passou por recapeamento recentemente, mas que, mesmo assim, deve vistoriar esses pontos para identificar se há necessidade de recomposição do pavimento. A prefeitura disse que vai tapar buracos nas faixas e que o viaduto Nove de Julho passará por vistoria nesta semana. FONTE : Mari Cavalcante do Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário