sábado, 19 de abril de 2014

Agora santo, padre Anchieta foi fundador de São Paulo

Declarado santo nesta quinta-feira (3) mais de quatro séculos depois de sua morte, o padre José de Anchieta, além de catequizar índios, fundou a cidade de São Paulo. Enviado ao “novo mundo” a mando do criador da Companhia de Jesus, Inácio de Loyola, Anchieta pisou em terras brasileiras aos 19 anos, em 13 de julho de 1553. Jesuíta como o novo papa, ajudou a desbravar a nova colônia portuguesa em missões evangelizadoras ao lado do padre Manoel da Nóbrega. Marcos de sua passagem são lembrados desde São Paulo a Salvador. “Anchieta teve uma fortíssima contribuição na formação de nossa nacionalidade”, disse ao G1 o padre Cesar Augusto dos Santos, vice-postulador da canonização de Anchieta. “Não é á toa que ele aparece na grade escolar quando estamos no curso primário, ao lado de outros personagens de nossa história.” Um dos maiores marcos da presença do novo santo está na capital paulista: o Páteo do Colégio, no Centro da cidade. Em 1554, o então jovem padre recebeu de seu superior a missão de subir a Serra do Mar para fundar um colégio no Planalto de Piratininga. “A atuação de mestre Anchieta foi tal que famílias indígenas e portuguesas deixavam suas terras e se mudavam para o entorno do colégio. Aos poucos o casario foi se transformando em aldeamento, este em vila e esta em cidade”, disse o padre. “Essa megalópole deve sua origem à ação educadora do apóstolo [Anchieta].” Atualmente, o Páteo abriga uma igreja e um museu em homenagem ao novo santo. O templo (que, por sinal, será renomeado de Igreja Beato José de Anchieta para Igreja São José de Anchieta) tem um oratório com relíquias de Anchieta: o manto restaurado que ele utilizou em suas caminhadas pelo Brasil e um pedaço de seu fêmur. Também foi obra sua a Igreja de São Miguel, na Zona Leste da capital. Ainda em pé, o edifício deu origem ao bairro de São Miguel Paulista. LEIA MAIS : http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/04/fundador-de-sao-paulo-padre-anchieta-e-declarado-santo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário