terça-feira, 18 de junho de 2013

Adolescentes desaparecem após entrar no mar em Guarujá...todos são de São Miguel Paulista,zona leste da capital

Equipes do Corpo de Bombeiros em Guarujá (86 km de São Paulo) procuram por dois adolescentes de São Paulo que desapareceram, na madrugada de domingo (16), após se afogar na praia de Pitangueiras. Os jovens, de 16 e 17 anos, estavam acompanhados de outros dois rapazes, que se salvaram sozinhos e acionaram o resgate para procurar os menores. Segundo os bombeiros, o quarteto mora no distrito de São Miguel Paulista (zona leste da capital) e chegou a Guarujá por volta das 23h de sábado (15) em um carro emprestado. O mais velho do grupo tinha 20 anos. Aproximadamente às 3h de domingo, entrou no mar, perto da costa do morro do Maluf –uma região de fortes correntes marítimas. A dupla que conseguiu nadar até a areia se dirigiu ao Hospital Santo Amaro, a cerca de 1,5 quilômetro da praia, e ainda durante a madrugada voltou a São Paulo. As buscas pelos adolescentes, identificados como P.S. 17, e V.S., 16, começaram às 6h de domingo. Nesta segunda-feira (17), os jovens que retornaram à capital foram contatados pelo comandante do Posto de Bombeiros Marítimo guarujaense, tenente Ricardo Fernandes de Barros Júnior. Eles foram convidados a voltar a Guarujá para indicar o local exato do afogamento, mas ainda não disseram se o farão. Correntes marítimas "Eles não serão obrigados a vir, mas as informações que prestarem serão importantes. Por exemplo, em que lugar da praia entraram na água, para podermos verificar as correntes marítimas depois do afogamento", afirmou o tenente. A procura pelos adolescentes está sendo feita com auxílio de uma lancha, um bote e de comunicação por rádio com a Marinha. O objetivo é que pescadores sejam informados do afogamento e informem aos Bombeiros a eventual localização dos corpos. Parentes dos dois desaparecidos estão desde domingo em Guarujá. A mãe de um deles disse aos bombeiros não conhecer os jovens que se salvaram. FONTE : UOL /BAIXADA SANTISTA

Um comentário:

  1. Meu filho de 16 anos. Bombeiros ajudem a acabar com minha angústia. Achem meu filho

    ResponderExcluir