quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Garoto do taca-le pau teve aula por Skype e turbinou sotaque em vídeo da F1

Astro-mirim da internet, Leandro Beninca, de 9 anos, ganhou novo fôlego em sua crescente fama ao gravar um vídeo promocional do GP do Brasil de Fórmula 1. Nele, seu "taca-le pau" foi remodelado e incluiu astros da categoria, com direito ao seu curioso sotaque transformando Hamilton em um "Rrramilton" de dar inveja a Galvão Bueno. O comercial surgiu quando a agência de publicidade Neogama/BBH resolveu ousar e criar algo fora do padrão e ele foi lançado dia 10 na internet e nesta semana na TV. Em um papo rápido com o UOL Esporte, o protagonista Leandro contou com seu jeito tímido e monossilábico que costuma assistir à Fórmula 1 com a família, mas que não torce para ninguém em específico. Sobre ouvir sua voz num anúncio de nível nacional, definiu: "foi legal!". O curioso é que, para a ideia do comercial dar certo, toda uma operação foi montada. Leandro e o primo Marcos, o "Marco Véio" que pilota o carrinho, são de Taió, em Santa Catarina. O lugar é simples, então eles foram deslocados para um estúdio de rádio em Santa Terezinha e instruídos via Skype no momento da gravação. "Entre a criação e o filme no ar, demoramos cerca de um mês. Pedimos para eles irem a uma cidade vizinha, agendamos numa rádio local e fomos passando as instruções via Skype. Eles no Sul e a gente em São Paulo, só passando os detalhes do que a gente queria", explicou Fernando Saú, diretor de arte de 33 anos. O trabalho foi fácil, e perceber no sotaque de Leandro a chance de exagerar algumas letras "R" pareceu uma chance de diferenciar ainda mais o trabalho. LEIA MAIS : http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2014/09/17/garoto-do-taca-le-pau-teve-aula-por-skype-e-turbinou-sotaque-em-video-da-f1.htm

EXCLUSIVO: RENEGADE RODA SEM CAMUFLAGEM NO BRASIL . . . Maior atração da Jeep no Salão foi apresentado aos concessionários em São Paulo

Essas são as primeiras imagens do Renegade rodando sem nenhuma camuflagem pelas ruas brasileiras. O SUV será a maior atração da Jeep no Salão do Automóvel, em outubro. A produção tem início em março, logo após a inauguração da fábrica que a Fiat constrói em Goiana (PE) – a Jeep foi comprada pela Fiat há quatro anos. A reportagem de Car and Driver flagrou o Renegade na Zona Sul de São Paulo. Procurada, a marca afirma que a unidade veio dos EUA ao País para feitura de fotos de catálogo estrangeiro e para ser apresentada à rede de concessionários da Jeep em convenção em São Paulo. A configuração é para o mercado europeu. Mas o nacional será praticamente idêntico. 1.8 FLEX E 2.0 DIESEL O Renegade está mais para Ford EcoSport nas proporções da carroceria. Mas será um 4x4 à moda antiga. Apesar de ser um carro com claro foco urbano – poucos futuros donos vão abusá-los fora do asfalto – será possível equipá-lo com tração integral e reduzida. Haverá vários modos de condução para diferentes terrenos (Lama, Areia) e controle eletrônico de descida. O ângulo de ataque do Renegade será de 30° e de saída (34°). O do Eco são 25° e 35°, respectivamente. A característica fora de estrada do Renegade será mais marcante na altura livre do solo, que chega a 210 mm na versão topo de linha Trailhawk 4x4. LEIA MAIS : http://caranddriverbrasil.uol.com.br/segredos/flagras/exclusivo-renegade-roda-sem-camuflagem-no-brasil/8708

Programa de Luiz Bacci vive crise e tem demissão em massa

Audiência e faturamento baixos, falta de patrocinadores, erros graves cometidos ao vivo e críticas severas dentro e fora da Band pelo fracasso de seu formato. Esses são apenas alguns dos fatores que envolveram o recém-criado "Tá na Tela", da Band, numa enorme crise com pouco mais de um mês de existência. Praticamente toda a cúpula da produção original da atração comandada por Luiz Bacci já pediu demissão ou foi demitida. O clima na redação é o pior possível. Diariamente há gritaria e gente chorando pelos corredores e banheiros, segundo a coluna Ooops! apurou. Entre os que já deixaram o programa estão editores, produtores, auxiliares, o diretor Paulo Nicolau e, última baixa, Rodrigo Branco. O programa estreou com pretensões enormes, a despeito de alguns diretores da Band --como esta coluna antecipou-- terem feito advertências de que a expectativa de ibope imaginada por Bacci e equipe eram "megalômanas". Bacci rescindiu contrato com a Record, onde registrava de seis a sete pontos de média com o "Balanço Geral" e foi para a Band com a "promessa" de que daria ao menos cinco pontos de média na nova casa. Isso nunca aconteceu. O programa tem médias de 2,5 pontos, a mesma coisa que a Band dava antes do programa existir, e, apesar da caríssima produção, tem disputado encarniçadamente o quarto lugar no ibope --chega em muitos momentos a perder o posto para a Gazeta. Cada ponto de ibope vale por 65 mil domicílios sintonizados na Grande São Paulo. LEIA MAIS ; http://celebridades.uol.com.br/ooops/ultimas-noticias/2014/09/17/programa-luiz-bacci-vive-crise-e-tem-demissao-em-massa.htm

Filha desabafa sobre Nilton César ter negado paternidade: 'doeu'

Suellen diz que o cantor pediu 30 dias para resolver a situação com a advogada. A garota se diz decepcionada com a reação de Nilton. Ex-chacrete quer que cantor Nilton César reconheça paternidade de sua filha

Violência tomou conta do centro de SP durante reintegração de posse